Warning: session_start(): Cannot send session cookie - headers already sent by (output started at /home/monfm/public_html/novo/util/Constants.php:1) in /home/monfm/public_html/novo/util/Session.php on line 15

Warning: session_start(): Cannot send session cache limiter - headers already sent (output started at /home/monfm/public_html/novo/util/Constants.php:1) in /home/monfm/public_html/novo/util/Session.php on line 15
Rádio Monteiro FM

PlayList

PlayList

Petrobras eleva preço da gasolina nas refinarias pelo 2º dia seguido


Petrobras eleva preço da gasolina nas refinarias pelo 2º dia seguido

A Petrobras voltou a elevar o preço da gasolina nas refinarias, com um aumento de 0,98% anunciado nesta quarta-feira (12). Com isso, o preço do combustível passará de R$ 2,2294 para R$ 2,2514 a partir desta sexta-feira (14).

Trata-se do segundo reajuste diário após 1 semana de preços inalterados. Na véspera, a estatal anunciou um aumento de 1,01%. Com o aumento, o novo valor renovará máxima dentro da política de reajustes diários, iniciada há mais de um ano. Em 30 dias, a alta do preço médio da gasolina nas refinarias já chega a 17%.

Desde o início da política de ajuste de preços, iniciada em julho do ano passado, o preço da gasolina nas refinarias acumula alta de 71,28% e, o do diesel, valorização de 69,46%, segundo o Valor Online.

Em março deste ano, a empresa mudou sua forma de reajustes, e passou a divulgar preços do litro da gasolina e do diesel vendidos pela companhia nas refinarias — e não mais os percentuais de reajuste.

Já o preço do diesel segue mantido em R$ 2,2964 o litro. No fim de agosto, a estatal anunciou alta média de 13,03% no preço do diesel nas refinarias do país, após 3 meses de valores congelados, depois que a Agência Nacional do Petróleo (ANP) determinou os novos preços de comercialização do diesel dentro da política de subvenção ao combustível. O preço será mantido até 29 de setembro.

Antes do anúncio da estatal sobre o aumento do diesel, o preço do produto permanecia estável em R$ 2,0316 por litro desde 1º de junho, quando a estatal reduziu em R$ 0,07 o valor. O compromisso foi originado da greve dos caminhoneiros, no fim de maio. Uma das principais reivindicações da categoria era redução no preço do diesel.

Barril de petróleo atingiu máxima em 4 meses

A Petrobras adota novo formato na política de ajuste de preços desde 3 de julho do ano passado. Pela nova metodologia, os reajustes acontecem com maior periodicidade, inclusive diariamente, refletindo sobretudo o preço internacional e o câmbio. Na véspera, o barril de petróleo Brent bateu US$ 80,13, maior cotação em 4 meses.

Na semana passada, a Petrobras anunciou uma flexibilização na sua política de preços que permitirá aumentar os intervalos de reajustes nos preços da gasolina nas refinarias em até 15 dias. A estatal informou que vai adotar a partir desta quinta-feira (6) um mecanismo de proteção financeira (conhecido como hedge) que dará a opção de mudar a frequência dos reajustes diários no mercado interno.

Preço nos postos

Os preços médios do diesel e da gasolina ao consumidor subiram na semana passada, segundo levantamento divulgado na segunda-feira (10) pela Agência Nacional do Petróleo, do Gás Natural e dos Biocombustíveis (ANP).

O preço do diesel terminou a semana passada com aumento de 3,4%. Foi a R$ 3,489, acima do observado no levantamento anterior (R$ 3,373). Já o preço da gasolina teve alta de 1,8% e subiu a de R$ 4,525, acima dos dos R$ 4,446 apurado na leitura passada. Em parte do país, o litro da gasolina já está sendo vendido acima de R$ 5.

No mesmo período, o preço médio do etanol aumentou 2,4%, de R$ 2,626 para R$ 2,690. O valor representa uma média calculada pela ANP e, portanto, pode variar de acordo com a região.